R. C. Marques | Flutuantes
15559
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-15559,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,columns-4,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.1,vc_responsive

Considerações sobre água e luz na fotografia de Ricardo Marques

Água e luz. Fluídas as ondas das águas e as ondas de luz envolvem-se, harmonia impassível, vitais energias, fluída foto grafia! Jóia brilhosa, assim Paul Gaugin, momento raro captado no silêncio da criação, poetando com a inesperada imagem.

As formas e cores interagem e complementam, extrapolando o aspecto fotográfico exclusivo e beliscando indícios pictóricos (texturas várias, “pinceladas” construídas sem desenho, gesto espontâneo, paciência e olhar aguçado) produzindo requintado resultado, “fotopinturas” feitas de luz.
As abstrações metálicas cuja coloração poética compõe fotos em que o registro imagético sobrepõe o registro documental, aproximando o olhar do autor mais para as coisas da arte que para os depoimentos concisos das coisas reais.
A viagem inerente ao olhar do fotógrafo artista reflete suas visões pelos processos que sintetizam suas vivências. Quando uso a palavra refletir, usou-a em dois sentidos, reflexão de imagem e reflexão do pensamento. Deste modo,a imagem reflete a experiência do designer profissional de acabamento impecável e também do reflexivo acadêmico estudioso pensador das Histórias das Artes.

João Henrique do Amaral, 2015